domingo, 21 de novembro de 2010

Devaneios Cinematográficos- Harry Potter e os Talismãs da Morte


A MINHA OPINIÃO:
Chegou mais um novo capítulo da saga de Harry Potter aos cinemas... Para quem não sabe, o sétimo e último livro foi dividido em duas adaptações cinematográficas. A primeira parte chegou este Novembro e segunda parte chegará para o Verão de 2011. E eu, admiradora confessa da série "potteriana" estava desejosa de o ver. Os livros de J.K.Rowling marcaram a minha adolescência e os filmes são uma forma de entrar de novo no mundo da aventura e da magia. Este filme é, para mim, um dos melhores da saga! Porém, aqueles que não estão familiarizados (quem não está?) com mundo "potteriano" podem não apanhar todas as nuances desta nova metragem. Harry, Ron, Hermione deixaram para trás os momentos felizes e idílicos na segurança dos muros de Hogwarts e substituíram-nos pelo perigo e pela luta pela sobrevivência. Correm contra o tempo e contra os planos maléficos de Lord Voldemort em busca dos Horcruxes, fragmentos da alma do Senhor das Trevas. David Yates realiza o seu terceiro filme do universo Potter e fá-lo competentemente! O filme adquire uma atmosfera mais negra com uma fotografia brilhante de Eduardo Serra contudo, não falta humor ( os gémeos Weasley e o Ron são demais!) ternura e amizade. Amizade, essa que é posta à prova! Harry, Ron e Hermione verão a sua relação ser testada ao máximo... Será a amizade mais forte que a desconfiança ou que um Horcrux? O trio segue os passos de Dumbledore e na posse do seu enigmático legado, deparam-se com outros artefactos, os Talismãs da Morte. Estes, segundo a lenda, foram criados pela Morte para três irmãos. A parte em que Hermione conta a história é fantástica! Os gráficos que foram adoptados para contar a aventura dos irmãos são belíssimos! Radcliffe, Grint e Watson cresceram em frente aos nossos olhos e por vezes, esquecemos que eles são actores e que mantêm interpretações consistentes há quase uma década. Ralph Fiennes é arrepiante como Lord Voldemort. Tudo nos seus gestos e maneirismos denuncia maldade e insensibilidade. Só poder supremo o seduz! Imelda Stauton é mais a mais irritante das personagens ( com seus gatinhos e laçinhos), Umbridge. Perfeita! E claro, Dobby é o mais elfo mais adorável e corajoso do mundo!!! E a sua cena final foi capaz de arrancar alguma comoção e, atrevo-me, lágrimas na sala!O filme deixa aquela sensação de história inacabada mas, é normal sendo esta apenas uma parte. Todavia, há um leve perfume a esperança no ar, um aroma a confiança, que aponta para um futuro melhor! Um bom filme e sim, vou esperar ansiosamente uma data de meses pela conclusão. Nem me lembrem disso! Contando os dias...:p

TRAILER:




video

sábado, 20 de novembro de 2010

A Rainha dos Malditos (Volume I) de Anne Rice


A continuação de Entrevista com o Vampiro e O Vampiro Lestat.

A viagem de Lestat até uma caverna numa ilha grega desperta Akasha, rainha dos malditos e mãe de todos os vampiros, do seu sono de seis mil anos. Desperta e sedenta de sangue, Akasha traça o seu maléfico plano para dominar o mundo dos vivos.
Num concerto em São Francisco, Lestat ignora que entre os fãs há centenas de vampiros dispostos a destruí-lo por ter revelado a condição dos seus semelhantes.
Um misterioso sonho é partilhado por um grupo de homens e vampiros. Quando todos se aproximam, o sonho torna-se mais claro e tudo aponta para uma tragédia indescritível.

A MINHA OPINIÃO:

A Rainha dos Malditos é, como indicado, apenas um volume desta história. Talvez por isso, soube-me a pouco... Contudo, não deixa de ser um livro de Anne Rice com personagens electrizantes e uma escrita fabulosa e algo poética da autora. Neste livro, o concerto do célebre vampiro Lestat está iminente e seguimos os passos das outras personagens que o aguardam com ansiedade. Estas não são apenas vampiros mas também humanos. A ligar todos os intervinientes da história, está uma lenda: a lenda das gémeas ruivas Mekare e Maharet. E esta lenda tão antiga também se relaciona com Akasha, Aquela que deve ser preservada. Akasha, rainha dos malditos vive pelo poder, pelo sangue e pela ambição. Daniel é outra personagem fascinante.É humano mas procura desesperadamente a morte e a consequente imortalidade vampírica. Daniel é o jovem jornalista que entrevistou Louis, em Entrevista com o Vampiro (tenho que ler esse livro:p). Este volume tem menos acção que os anteriores porém, tal se justifica, acho eu, por ser uma parte de duas, pois quando ela aparece, o livro chega ao fim. Daí a minha pequena frustação...Todavia, esta parte parece ser a preparação para o que aí vem: algo grandiosamente terrível ou redentor, dependendo do ponto de vista. Anne Rice cria com esta série de livros: um mundo com uma mitologia vampírica muito própria e viciante. É, indubitavelmente, uma das melhores sagas vampíricas que já li!

5/7- MUITO BOM

PS: Obrigada Segredo dos Livros!
TRAILER DO FILME:

video

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Royal Flash- A Odisseia de um Cobarde (II) de George MacDonald Fraser



A sua cobardia só é comparável à sua cara de pau. Harry Flashman tem tudo para ser o maior herói do Império Britânico. E esta é a sua odisseia!

Dos salões vitorianos de Londres às fronteiras exóticas do Império, prepare-se para conhecer o maior herói do seu tempo (raios, de todos os tempos!)

Após o seu regresso do Afeganistão como herói de guerra, Flashman vê-se envolvido com a bela e perigosa Lola Montez e o malévolo Otto Von Bismarck numa batalha de engenhos que irá decidir o destino de um continente. Dando início a uma aventura épica, o nosso galã embrulha-se numa sucessão desesperada de fugas, disfarces, encontros amorosos e combates singulares que atravessam os salões de jogo e masmorras de Londres para culminar nas salas de trono da Europa. Será que os talentos de Flashman irão salvar o nosso sortudo cobarde das garras de Otto Von Bismarck e da bela Lola Montez?
A MINHA OPINIÃO:

Royal Flash é um sucessor principesco de Flashman- A Odisseia de um Cobarde! É mais vibrante, mais hilariante, resumindo mais Flashy!!! Harry Flashman é mais uma vez, o herói ( ou anti-herói) . No primeiro volume, Harry foi expulso do Colégio de Rubgy, ganhou um duelo ( fazendo batota) e ingressou no Exército, servindo Sua Majestade, além fronteiras, na Índia e no Afeganistão. Regressou como herói. Novamente em Inglaterra, o nosso Flashy tenta fazer as suas trafulhices, enganar rabos-de-saia e viver uma boa vida à custa de muito pouco sacríficio. Mas, Harry tem um condão para se meter em apuros, incluindo aqueles que são bonitos e usam saias. Flashman encontra Lola Montez, o que por si, não traz problema nenhum, se o nosso protagonista não cedesse à luxúria facilmente. Uma relação que acaba com um penico voador! Lola vai, depois, tornar-se amante de Luís da Baviera. Outro personagem que se cruza com Flashman é Otto Bismarck, o afamado político alemão com um papel crucial na origem da nova Alemanha. Países em pé de guerra, e o nosso herói no meio desta confusão! Como, perguntam vocês? Bem, o nosso Harry tem um sósia principesco e mais não digo. Com uma escrita simples e directa, Fraser faz com a leitura seja aprazível e cheia de gargalhadas. Harry mete-se em cada embrulhada e sempre aterrorizado, safa-se sempre! E ainda por cima, admite que é covarde!!! Enfim, um livro divertidíssimo... com personagens palpáveis e com um background histórico fantástico!

5/7- MUITO BOM

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Anjo Caído de Lauren Kate


Existe qualquer coisa de dolorosamente familiar em Daniel Grigori. Misterioso e distante, prende a atenção de Luce Price logo que o vê no primeiro dia de aulas no internato Sword & Cross, em Savannah. É a única coisa boa num lugar onde os telemóveis são proibidos, os outros estudantes são tramados e as câmaras de segurança vigiam todos os movimentos. Excepto uma coisa: Daniel não quer ter nada a ver com Luce e faz o possível para tornar isso muito claro. Mas ela não consegue desistir. Atraída para ele como uma borboleta para uma chama, Luce tem de descobrir o que Daniel, desesperado, tenta manter em segredo… mesmo que a mate. Perigoso, excitante e sombriamente romântico, Anjo Caído é uma apaixonante e perfeita história de amor.


A MINHA OPINIÃO:


Anjo Caído caiu-me do céu no Halloween! Não foi um feitiço nem nada que se pareça, se bem que, se isso acontecesse, as minhas poupanças agradeciam...:p Era um livro que queria muito ler e, assim que saiu, a capa e a sinopse atraíram-me como um íman. Criei imensas expectativas que infelizmente, foram parcialmente defraudadas. Parcialmente, porque no geral, gostei da narrativa. O prólogo é excelente! Excitante, misterioso e que me deixou a "salivar" por mais! A seguir, a história muda de cenário e conhecemos Luce, uma rapariga, aparentemente problemática, que ingressa pela primeira vez no reformatório Sword & Cross. Este é muito estranho! O seu espaço pertencia, outrora, a uma igreja e os castigos são passados no antigo cemitério. Mas, mais ainda peculiares são os seus alunos: Arriane, é uma boa louca que faz questão de tomar Luce como sua protegida; Cam é um rapaz lindíssimo que tenta seduzir Luce de todas as maneiras; Penn é a única " normal" e com quem, Luce estabelece uma relação de profunda amizade; e, claro, existe Daniel Grigori que fascina a nossa protagonista. Luce tem a sensação de que já o viu e a atracção que sente por ele, é magnetizante e inevitável! Daniel é que parece não se interessar por ela. Evita-a e repele-a... porém, também a acarinha e a consola. O fascínio de Luce por Daniel leva-a a uma pesquisa perigosa com a sua amiga Penn. Será que existe mesmo alguém que nos é destinado para todo sempre? E, porque é que Daniel a afugenta e ao mesmo, se preocupa e a conforta? Este é um livro que irá, sem dúvida, agradará a muitos principalmente, aos adolescentes. A história de um amor proibido e impossível sempre chamou atenção! Senti-me defraudada porque esperava mais. Depois de um início brilhante, a história esmorece um pouco e só mais para o final, é que a acção volta em força. Quando digo acção, refiro-me a revelações, a segredos e ao sobrenatural que tornam a história muito muito mais interessante. Fiquei desiludida porque quando estes elementos começaram aparecer, o livro terminou. Enfim, vou ter de esperar pela continuação para opinar devidamente sobre esta saga. Ainda assim, gostei do livro! Uma boa prenda para o Natal, que aí vem!:D


4/7- BOM