quarta-feira, 28 de março de 2012

Novas Aquisições!!!:)



Os livros são a perdição de um leitor! Precisamos deles como do ar para respirar e encontrá-los em preço de saldo e novos é muito bom para o vício e para as poupanças. 
Todos os que estão nesta fotografia, exceptuando o Anjos na Neve ( ganho num passatempo), foram adquiridos em promoção ou em alfarrabistas.

Quo Vadis de Henryk Sienkiewicz, Orgulho e Preconceito de Jane Austen e O Rei que foi e será de T.H. White são clássicos que queria muito ler e consegui-os pela módica quantia de dois euros e meio cada. Também a esse preço vieram para casa: A trança de Inês de Rosa Lobato de Faria, A Curva do Rio de Naipaul e A Mosca da Morte
Os livros da Juliet Marillier foram um achado na estimada feira dos alfarrabistas do Chiado assim como A Rapariga que roubava livros. Finalmente, os livros de Colleen McCullough foram encontrados numa livraria alfarrabista  pequena em tamanho contudo, está tão cheia de livros que parece que os seus próprios alicerces são livrescos. George R.R Martin, Elizabeth Chadwick e Orhan Pamuk foram prendinhas xD! Adoro quando me dizem: "compra um livrinho que eu ofereço!":p

Escusado, será dizer que tenho uma enorme quantidade de livros para ler contudo, quem resiste a estes manjares apetitosos? Eu não! E vocês? Já leram algum?

Devaneios à Solta... As Memórias de Cleópatra I

O segundo protagonista desta rubrica é As Memórias de Cleópatra- A Filha de Ísis de Margaret George.

Entrada da Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa ( foto da minha autoria)

" As pirâmides cresceram até parecer que preenchiam o céu; e quando finalmente alcançámos a base de uma delas e olhámos para cima, era como se fosse possível que o topo tocasse o Sol. Agora eu saberia que elas se assemelham a montanhas, mas naquela altura eu nunca vira uma montanha, e a visão deixou-me pasmada. Conhecia apenas a planície, apenas horizontal- a lisura do oceano, as ruas rectas e planas de Alexandria, os campos planos nas margens do rio- e esta forma, este monte erigido, desafiava a minha compreensão." pág. 63

in As Memórias de Cleópatra- A Filha de Ísis de Margaret George

terça-feira, 27 de março de 2012

Devaneios de Séries.... The Borgias (2011- )

The Borgias é uma série exibida nos Estados Unidos da América no canal televisivo Showtime. Neil Jordan, realizador de Entrevista com o Vampiro, criou este drama histórico baseado na família Bórgia, uma dinastia italiana de origem espanhola. Contemporâneos dos Médicis, de Leonardo da Vinci e Miguel Ângelo, a infame família ganhou poder e destaque durante a época renascentista . A sua sordidez é lendária: seja real ou inventada pelos seus inimigos, a verdade é que não há a mais pequena dúvida que eles não eram nenhuns santos! Eles foram a inspiração de Maquiavel e Mario Puzo em O Príncipe e O Padrinho, respectivamente. Tal como a sua antecessora, The Tudors, The Borgias não pretende de maneira nenhuma ser um documentário histórico. Molda os eventos históricos e torna as personagens conflituosas e mais próximas do espectador. 


Rodrigo Bórgia , a personagem de Jeremy Irons, é um cardeal moralmente questionável que subiu à cadeira de São Pedro devido a sua hábil e conveniente fortuna. Como Papa, Rodrigo teria poderes quase ilimitados sobre Roma e os países católicos tementes ao papado. Os jogos políticos são uma constante e Rodrigo e seu filho Cesare revelam-se mestres na arte do engano, da manipulação e esquivam-se quase como que, miraculosamente, à morte. Os Bórgias são inteligentes,intrigantes,cativantes e ominosos, fruto de uma sociedade selectiva, que premeia o sobrevivente audacioso que não olha a meios para atingir os seus objectivos. Personalidades complexas, capazes do amor e do ódio, a família é por si só, uma pequena cidade já que, os irmãos Juan e Cesare lutam  entre si pela aprovação paternal. Cesare, interpretado por François Arnaud é um personagem que anseia pela espada todavia, segue obedientemente as ordens do pai, escondendo os seus impulsos por detrás da batina de clérigo. Rodrigo e Cesare têm uma relação fascinante e absorvente devido à competência e química dos actores que lhes dão vida. Enciumado, o irmão mais novo, Juan Bórgia de David Oakes caminha, periclitante, na ténue linha entre a razão e a loucura. Lucrezia de Holliday Grainger, é a irmã mais nova e a mais inocente e ingénua. Porém, a menina é rapidamente instruída na arte da sobrevivência quando os seus sonhos de felicidade são destruídos.

The Borgias é uma série opulenta que rompe com todos os parâmetros morais e, que não é propriamente um modelo de rigor histórico. É um guilty-pleasure que tem na presença quase omnipresente de Jeremy Irons, uma âncora de muito boa qualidade. A primeira temporada é constituída por 9 episódios e a segunda estreia nos Estados Unidos em Abril.

TRAILER DA 1ª TEMPORADA:

video

sexta-feira, 23 de março de 2012

Desafio TAG- 11 perguntas

Tenho recebido alguns selos nas últimas semanas mas, não tenho muito tempo para colocá-los cá. Aprecio e acarinho cada um deles e vou tentar arranjar uma publicação só para eles. Entretanto, vários vizinhos dos blogues mandaram-me este TAG.Obrigada a todos!xD Aqui estão as respostas:

TAG de Rita do A Magia dos Livros e de Wicahpis  de O meu Vício: Ler


1 - Se tivesses de te definir em 5 palavras quais seriam?

Extrovertida,prática, teimosa, perseverante e amiga.


2 - És feliz na profissão que exerces? 

Ainda sou estudante mas, para ser alguém na vida é preciso fazer sacrifícios. Há dias bons e dias maus. Felizmente, há mais "dias bons"!


3 - Qual é a profissão com que mais te identificas?

Medicina e não me imagino a fazer outra coisa ao não ser, qualquer coisa que tenha livros na equação.


4 - Se fosses uma personagem da BD qual serias?

O Astérix ou a Lois Lane na versão mais intempestiva e lutadora dela.


5 - Qual o livro que mais te marcou até hoje?

O livro? São muitos. Alguns são a Trilogia do Senhor dos Anéis, Pássaros Feridos de Colleen McCullough, As Crónicas de Gelo e Fogo de George R.R. Martin, Os Maias de Eça de Queirós, As intermitências da morte de Jorge Saramago, O Monte dos Vendavais de Emily Brönte, A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Záfon e mais recentemente, Lisboa Triunfante de David Soares. Contudo, a lista é enorme.


6 - Qual o último livro adquirido (comprado, trocado ou oferecido)?

O Pássaro de Caxemira de Linda Holeman


7 - Qual a última música ouvida?

James Morrison- Broken Strings feat Nelly Furtado


8 - Qual a música que mais te toca?

Uma música cantada ou tocada com sentimento e emoção seja qual for o género toca-me sempre. 


9 - Com que animal mais te identificas?

Adoro cães mas, se pudesse ser um animal seria uma águia. Voar seria simplesmente fantástico!


10 - O que estás a fazer neste preciso momento?

A responder à tag.


11 - Sem olhares para o relógio, que horas são?

00:10h - falhei por um minuto. 

TAG de Sandra do Mil Estrelas ao Colo


1 - Que livro ou livros te marcaram?

Já respondi a esta pergunta na outra TAG mas, deixar mais uns nomes: A Papisa de Donna Woolfolk Cross, A Expiação de Ian McEwan, Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach, As Crónicas de Bridei de Juliet Marillier, O Segredo da Casa de Riverton e podia continuar até amanhã.:)


2 - Se pudesses ser a personagem de um livro qual serias?

A Daenerys Targaryen de George R.R Martin porque ela tem uns "bichinhos de estimação" muito engraçados :p ou Sylvia de O Sonho mais Doce de Doris Lessing pelo seu altruísmo e força face às vicissitudes.


3 - Quantos livros tens?

Muitos!!! Devo ter à volta de 600 ou 700 livros.


4 - Onde mais gostas de ler?

Leio em qualquer lado mas gosto de estar no sofá enrolada na minha manta ou de ler com a minha cadela ou um dos meus cães a aquecer-me os pés:) .

5 - Tens amigos que gostam de ler ou nem por isso?

Tenho muitos porém, são mais selectivos do que eu. Gostam mais de um género e só lêem desse. Eu gosto de variar bastante.


6 - Quantos livros por mês costumas comprar?

Depende do mês. Há meses em que não compro um que seja. Todavia, há outros que são uma ameaça à integridade das minhas poupanças. Ultimamente, tenho adquirido alguns em promoções e feiras relativamente novos e baratos.


7 - Gostarias de trabalhar em algo envolvido com livros?
Gostaria de publicar as minha histórias e os meus poemas mas, tenho noção que há gente por aí que escreve muito melhor que eu. Quanto a trabalhar no mundo dos livros, existe a profissão de "leitor profissional"?:p


8 - Qual o teu maior sonho (relacionado com livros)?

Gostaria de ter uma livraria/ biblioteca acessível a todos.


9 - Que género de livros gostas de ler?

É mais fácil responder o que não gosto. Assim sendo, não aposto muito em biografias e livros de auto-ajuda. 


10 - Quais os teus escritores de eleição?

Carlos Ruiz Záfon, Albert Camus, Juliet Marillier, Rosa Lobato de Faria, Colleen McCullough, Saramago, Eça de Queirós, David Soares,Kate Morton, Toni Morrison, Ian McEwan, Joanne Harris, George R.R Martin, Anne Rice, Emily Brönte, Donna Woollfolk Cross, Elizabeth Chadwick, Guillaume Musso, Sarah Addison Allen, J.R.R Tolkien, Mo Hayder, Santa Montefiore, John Sors, Gilbert Sinoué, Charles Dickens e muitos mais.

11 - Já conheces-te algum autor? 

A primeira vez que tive contacto com um autor foi no secundário quando apresentei um poema da minha autoria sobre o livro Memórias com Mar de Francisco Fernandes. Mais tarde, fui a uma sessão de autógrafos de Joanne Harris e na Feira do Livro de Lisboa do ano passado conheci, Vítor Frazão, autor de A Vingança do Lobo que gentilmente me autografou o livro com uma dedicatória bastante original:).

TAG de Patrícia de Chá da Meia Noite


1 - Séries ou Filmes?


Que pergunta complicada! Gosto de uma boa série mas, a magia do cinema é insubstituível!

2 - Preferes viver no mundo da fantasia ou na realidade?

Realidade apesar de o mundo não ser perfeito. Isso seria uma utopia!


3 - Imagina que podias construir a tua própria biblioteca particular. Como seria? Que livros teria? Como a decoravas?

A minha biblioteca particular seria enorme cheia de segredos e recantos e quem sabe cheia de passagens secretas atrás de estantes que dariam para salas mais pequenas com mais livros. Um bom sofá ao pé de uma janela também seria indispensável. 


4 - Ilustrar ou Escrever?

Escrever 


5 - O que te levou a escrever sobre livros no blogue, (ou a começar um blogue literário)?

Quando comecei o blogue queria pôr mais pessoas a ler. Queria partilhar as minhas opiniões sobre livros que me acompanham desde sempre. À medida que ele foi crescendo apercebi-me de que quando escrevia sentia-me livre de todas as preocupações e confusões do quotidiano. Os Devaneios da Jojo é filho do meu egoísmo e do meu altruísmo.


6 - Qual é a tarefa doméstica que mais abominas?

Lavar a loiça


7 - Onde queres estar daqui a dez anos?

Quero estar a trabalhar e ter saúde. É um desejo pertinente dado ao estado actual da economia. 


8 - Qual foi o teu primeiro livro preferido?

O Cavaleiro da Dinamarca de Sophia de Mello Breyner 


9 - Tendo em conta o teu ritmo de leitura até hoje, quantos livros pensas ter lido daqui por 5 anos (mais ou menos)?

Espero ler 200 livros nos próximos 5 anos. Quantos livros já li? Não faço ideia. Sei que são muitos mesmo.


10 - Qual a melhor maneira de incentivar uma pessoa a ler, ou de "criar" hábitos de leitura numa pessoa que não gosta de ler?

Sou da opinião que toda gente gostaria de ler se tivesse o incentivo certo. Orgulho-me de ter conseguido transformar não leitores em leitores. Basta encontrar o livro ou o género certo! 

11 - O que fazes para quebrar a rotina?

Ler, escrever, correr, cantar e levar os cães a passear. 

Regras:

1. Criar um post e responder às questões de quem te deu a TAG no post;

2. Criar 11 novas perguntinhas diferentes para passar adiante;

3. Escolher 11 bloggers para dar a TAG e colocar o link dela no post;

4. Ir para a página das bloggers selecionadas e dizer-lhes que foram tagueadas;

5. Não se pode taguear a blogger que nos indicou a TAG;

6. Avisar a blogger que nos passou a TAG quando fizermos o post sobre a mesma.

Por esta altura já todos responderam à TAG por isso, não fazer novas perguntinhas . Obrigada a todos que me enviaram  esta TAG.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Lisboa Triunfante de David Soares


Lisboa Triunfante é um romance épico sobre a rivalidade entre duas figuras misteriosas, cuja contenda milenária se cruza com a história da capital portuguesa. Desde as origens pré-históricas de Lisboa até aos anos turbulentos que antecederam a implantação da República, passando pela elevação da cidade a capital do Reino por Afonso III e pela construção enigmática do Mosteiro dos Jerónimos, a galeria de personagens que dão vida a Lisboa Triunfante contém figuras como Frei Gil de Santarém, D. João V e Aquilino Ribeiro. Reunindo elementos de romance histórico e fantástico, este é o livro definitivo sobre uma Lisboa mágica, que possui tanto de reconhecível quanto de maravilhoso. Lisboa Triunfante é um triunfo da imaginação. 


A MINHA OPINIÃO:

Lisboa Triunfante é, provavelmente um dos livros mais memoráveis que já li! E um dos mais difíceis de explicar também! Não há convenções, dogmas ou limites para imaginação prodigiosa de David Soares. Há uma cor indefinida nas suas páginas: não é totalmente histórica contudo, também não é totalmente fantástica . As grandes personagens são uma Raposa e um Lagarto, que travam uma batalha intemporal. São duas forças opostas e complementares pois, se ela é a encarnação da imaginação, ele é o destruidor e o arquitecto. Ela é a Trapaceira, manipuladora de tolos e cujos desígnios desconhecemos. A Raposa é astuta, sagaz e muito matreira e, se pensam que estão a salvo com ela estão muito enganados. Como Loki, o deus nórdico da travessura, ela encantam-nos com o seu sorriso malévolo e sedutor e as suas palavras doces e enigmáticas. O Lagarto é o Tentador, o homem verde que, se veste tanto de diabólico como santo. Ambos jogam com a lealdade dos homens, brincando com os seus receios e alimentando os seus sonhos de grandeza. O livro está dividido em vários capítulos numa estrutura pouco habitual no panorama literário porque, eles albergam várias épocas na mesma cidade, Lisboa. Desde o pré-histórico até ao actual, David Soares cobre vários séculos e desfila personagens tão peculiares quanto célebres: Sá de Miranda, Gil Vicente, Frei Gil Valadares e o inquietante Boytac são apenas algumas. Este é outro grande dom do escritor, o de reescrever a enorme história portuguesa, dando sentimentos, carácter e personalidade a figuras tão distantes no tempo que se tornaram mitos. Ídolos de gerações, tornam-se humanos de novo! O fugaz encontro entre Aquilino Ribeiro e Fernando Pessoa é simplesmente delicioso! Naquele instante, parece que tudo pára e nos tornamos em  espectadores privilegiados por assistir a tanto génio. Estas pequenas preciosidades só engrandecem Lisboa Triunfante que também vive muito da extensa pesquisa e da escrita muito "suis generis" de David Soares. Às vezes, é enternecedora, outras é cruel e grotesca, a única certeza é a de que não causa indiferença. É uma espécie de Raposa provocando a mente do leitor... Não é de satisfação fácil para um consumista alheado à qualidade, é audaz e para saborear cada ideia e cada centelha de imaginação do autor. Alicerçado na história, na fantasia, este livro é uma fábula em que uma Raposa e um Lagarto nos fazem ler madrugada adentro, em que surgem Cavaleiros Verdes do mito arturiano e em que descobrimos, finalmente porque existe uma Salta-Pocinhas!

6.5/7- OBRA-PRIMA

PS: Este livro foi o primeiro protagonista da rubrica Devaneios à Solta.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Sob um Céu de Mármore Branco de John Shors

"Em 1632, o imperador do Hindustão, Shah Jahan, consumido pela dor por morte da Imperatriz, Mumtaz Mahal, ordenou a construção de um grande mausoléu que simbolizasse a grandeza do seu amor. Contra cenários de fundo de inimaginável riqueza e poder, de rivalidades fratricidas e de cruel despotismo, a princesa Jahanara narra a extraordinária história da edificação do Taj Mahal, descrevendo a sua própria vida como agente da sua criação e testemunha dos eventos fatídicos que rodearam a sua conclusão.

Como princesa e mãe, como irmã e filha, Jahanara depara-se continuamente com escolhas impossíveis e descobre o verdadeiro significado da sua herança régia. Em Sob um Céu de Mármore Branco, John Shors recria um Hindustão histórico, transbordando de intriga empolgante e encerrando a verdade secreta do Taj Mahal, para um mundo que continua a vergar-se perante a sua eterna majestade."

A MINHA OPINIÃO:


Sob um Céu de Mármore Branco é um livro lindíssimo! É daquelas leituras que nos enleva para um espaço etéreo além das suas páginas. A Índia com as suas cores, sabores e aromas entraram, sem pedir licença, no meu imaginário.  A construção do Taj Mahal é fantasticamente intercalada com as vidas das personagens. Cada pedra e cada pintura deste mausoléu são o espelho de um amor eterno e de uma nova paixão que irá desabrochar sob esta maravilha arquitectónica. John Shors circula pelo palácio, pelo harém, e  pelo quotidiano enriquecendo o que, podia ser uma simples história de amor. Transforma-a numa história grandiosa. Sendo o escritor do sexo masculino, acho formidável o facto de a sua protagonista, Jaharana, filha do Imperador, ser tão credível como  uma heroína determinada,leal e inteligente. A voz de Jaharana é tão verdadeira que, bebi das suas palavras como se fosse uma criança escutando um conto-de-fadas. O livro também é muito bem calibrado pois, se há momentos enternecedores também há guerra, violência e morte. A princesa vive numa corte multicultural em que várias ideias se cruzam e várias religiões co-habitam. São diferentes modos de vida que podem coexistir pacificamente ou despoletar uma guerra e Jaharana, uma mulher é ouvida porque, o seu pai preza muito a sua opinião. Os seus dois irmãos não podiam ser mais diferentes: Dara é o pensador, o eterno utópico que sonha unir as nações e Aurangzeb é o militar, temido e respeitado pelas hostes inimigas. Porém, o ambiente familiar está longe de ser idílico porque, personalidades tão distintas são incompatíveis à sombra do Trono do Pavão. Filha e irmã, a personagem principal privilegiou-me com um relato comovente de uma mulher dividida entre o dever e a razão e entre o crer e o ser. A esperança nunca abandona a escrita de John Shors mesmo perante a tragédia. É Jaharana, a profeta do escritor, anunciando um futuro, eventualmente melhor. As personagens secundárias são igualmente cativantes com Isa, Nizam e Ladli a se destacarem. Isa, o maravilhoso cérebro por detrás do Taj Mahal, Nizam, um homem marcado pela atrocidade da escravatura e Ladli, a amiga capaz de tudo pela segurança dos seus são condimentos indispensáveis neste manjar literário. Uma obra melíflua e irresistivelmente exótica ( ou não se passasse no Hindustão) que proporciona uma excelente leitura!

 6/7-EXCELENTE